Schutzstaffel (SS) 1933-1945

As Waffen-SS tem sua fundação derivada da chamada Schutzstaffel (SS) no início do Partido Nazista como forma de proteção a Adolf Hitler em um período conturbado politicamente (as décadas de 20 e 30 do século XX).

Hitler exigia que sua tropa de elite fosse composta por cidadãos com comprovada origem germânica, uma condição fisica e mental excepcional e que cumprissem as normas da ideologia nazista. Para isso colocou à frente da tropa especial Heinrich Himmler, que em alguns anos, mais exatamente em 1933, conseguiu aliciar nada menos do que 52.000 homens para o seu exército.

Com a ascensão da organização, Himmler conseguiu anexar aos seus domínios o Ordnungspolizei (a polícia regular), e o Sicherheitspolizei (a polícia de segurança). O Sicherheitspolizei foi dividido mais adiante no Kriminalpolizei ou Kripo (a polícia Criminal) e o Geheime Staatspolizei ou Gestapo (a polícia secreta), todas subordinadas ao escritório de Segurança Geral do Reich.

Suas implicações eram as seguintes:

- Tropas regulares servindo como tropas de elite lutando ao lado da Wehrmacht (e muitas vezes liderando as operações da Segunda Guerra Mundial).
- Guarda pessoal de Hitler, Leibstandarte Adolf Hitler (LAH).
- Controle dos Guetos Judaicos em Varsovia e demais cidades.



Crimes de guerra e atrocidades

Em geral a Waffen-SS não esteve diretamente envolvida no Holocausto, à medida que a Allgemeine-SS foi a maior responsável pelos campos de exterminio, ainda que muitos membros da Allgemeine e também da SS-Totenkopfverbände tenham se tornado posteriormente membros da Waffen-SS, formando assim o núcleo inicial da Divisão SS Totenkopf.

Muitos membros e unidades da Waffen-SS foram responsáveis por crimes de guerra contra civis e soldados aliados. Para os membros que não tomaram parte nos crimes, foi estabelecido o equivalente moral à uma "culpa por associação" com os que perpetradores.

Depois da guerra, a Schutzstaffel foi regulada como uma organização criminosa pelo governo alemão, pela inegável evidência da responsabilidade por inúmeros massacres e outros crimes de guerra e crimes contra a humanidade. Formações como a Dirlewanger, Brigada Kaminski e muitas outras unidades estiveram envolvidas na limpeza étnica e/ou assassinato político de milhares de civis por toda a Europa. Episódios como o Affair Houtman ou assassinatos perpetrados por Heinrich Boere são exemplos da sistemática brutalidade com a qual a SS tratava os civis nos países conquistados pela Alemanha Nazista.

Veja a lista de divisões da Waffen SS: Clique Aqui   (PDF)

Os principais nomes da Waffen-SS:

Heinrich Luitpold Himmler - Munique, 7 de outubro de 1900 – Lüneburg, 23 de maio de 1945 (Lider da SS e da Gestapo)

Foi um Reichsführer das Schutzstaffel (comandante militar da SS), e um dos principais líderes do Partido Nazi da Alemanha Nazi. Posteriormente, Adolf Hitler nomeou-o Comandante do Exército de Reserva e General Plenipotenciário para toda a administração do Reich (Generalbevollmächtigter für die Verwaltung). Himmler foi um dos homens mais poderosos da Alemanha Nazi e um dos principais responsáveis directos pelo Holocausto.

Em nome de Hitler, Himmler criou o Einsatzgruppen e construiu os campos de extermínio. Como facilitador e supervisor dos campos de concentração, Himmler dirigiu a morte de cerca de seis milhões de judeus, entre 200 000 e 500 000 ciganos, e outras vítimas; o número total de civis mortos pelo regime é estimado entre 11 e 14 milhões. Muitos deles eram cidadãos polacos e soviéticos. Himmler tentou esconder-se, mas foi detido e depois preso pelas forças britânicas, assim que a sua identidade foi descoberta. Enquanto se encontrava detido pelo britânicos, suicidou-se no dia 23 de Maio de 1945.

Adolf Otto Eichmann - Solingen, 19 de março de 1906 — Ramla, 1 de junho de 1962

Foi um político da Alemanha Nazi e tenente-coronel da SS. Foi responsabilizado pela logística de extermínio de milhões de pessoas no final da Segunda Guerra Mundial - a chamada de "solução final" (Endlösung) - organizando a identificação e o transporte de pessoas para os diferentes campos de concentração, sendo por isso conhecido freqüentemente como o executor-chefe do Terceiro Reich. Eichmann foi sequestrado na Argentina, por uma equipe de agentes da Mossad (serviços secretos de Israel), liderados por Raphael Eitan e foi levado para Israel, aonde foi julgado e executado em 1962.

Odilo Globocnik, líder austríaco da SS

Foi general da SS (SchutzStaffel - Tropa de Proteção, em alemão) na Áustria e teve papel importante na Operação Reinhard, o plano para exterminar os judeus europeus da Polônia ocupada pelo Governo Geral do partido nazista.

Dr. Josef Mengele, “O Anjo da Morte”

Ele acreditava piamente na teoria da superioridade racial alemã. Para prová-la, se engajou em diversos experimentos que buscavam comprovar a falta de resistência dos judeus e ciganos a diversas doenças, que ele mesmo introduzia no organismo de seus pacientes, assim como extraía e colecionava amostras de tecido e de partes do corpo de suas vítimas para estudos posteriores.

Oskar Dirlewanger, Comandante especial da SS

Mesmo se considerarmos toda a brutalidade do regime nazista, o comandante especial da SS, Oskar Dirlewanger, ainda é considerado uma das pessoas mais depravadas a vestir um uniforme alemão durante a guerra. Ele era alcoólatra, viciado em drogas, pedófilo e tinha forte tendência à violência, e sua unidade era considerada a mais sanguinária de todas dentro da SS.



Veja alguns dos principais membros da Waffen SS: Clique Aqui (Breve)


Veja também a história da Luftwaffe: Clique aqui

Não fazemos apologia ao nazismo, isso é apenas História e Conhecimento!

Veja Também: